domingo, 31 de agosto de 2014

Sou o astro e sou o resto dos restos; sou bipolar...


Sou um ser saturado de luz e de escuridão...
Numa hora sou o sol; noutra a depressão!
Quando sorrio escancaro a boca como louca...
Quando choro esbravejo até a voz ficar rouca!

A minha felicidade é intensa; sou o astro agora...
Posso esfarrapar todas as roupas e jogá-las fora
Compro outras; não importa a minha condição!
Vou vestir verde com rosa; divergir é a diversão...

Sinto algo estranho no parapeito do apartamento
A euforia é grande; a vontade é de ir com o vento...
Sou pássaro que quer voar; neste dia eu sou o ar!
Eu rio alto, estou feliz; eu engulo todas e quero bis...

A minha tristeza é intensa; sou o resto dos restos...
Busco algo de bom em mim e deduzo que não presto!
Sou cobra que rasteja pelo chão; sou a humilhação...
As mil lágrimas derramadas comprovam a solidão!

Quero morrer agora e esquecer que um dia existi...
A dor é grande; visto a roupa da morte, eu já morri!
Escondo os olhos; o meu olhar não tem expressão...
Morreu o sentimento; aqui dentro sangra o coração!

O que fazer com este entrelaçamento de alegria e dor?
Não tenho equilíbrio; fico no meio do ódio e do amor...
De manhã estou brincando; à noite estou morrendo!
Não sei lutar contra esta oscilação; qual é a direção?

Janete Sales Dany
Licença Creative Commons
O trabalho Sou o astro e sou o resto dos restos; sou bipolar! de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

http://silviamota.ning.com/group/depressao-em-verso-e-prosa/forum/topics/sou-o-astro-e-sou-resto-dos-restos-sou-bipolar
 Com este poema participei na Peapaz,

Prosa n° 4: Depressão e Transtorno Bipolar
PESQUISA: DEPRESSÃO E TRANSTORNO BIPOLAR
Clique na imagem para ver a minha participação

Nenhum comentário:

Postar um comentário