quinta-feira, 28 de agosto de 2014

O nosso perfume e o amor dilatando...


Chega como quem não quer nada, e me entorpece...
Traz no teu perfume um entusiasmo que umedece...
Usa uma linguagem censurável e a minha tez enrubesce...
Isto apetece! Depois vai embora, como quem diz, esquece!

Como ocultar este “você” que ficou impregnado em mim?
A minha voz declara que é o fim, mas o meu alvo vive no sim...
O olor da tua pele é igual ao meu; o meu olhar só quer o teu...
É dolorido pensar na tua boca; quem sabe beijando outra...

Uma paixão floresceu em mim e queima por dentro...
Vontade de tocar na tua pele e satisfazer o meu intento...
Viajar no teu tronco; numa judiação de amor e te deixar tonto...
Acenda as velas, eu sinto a essência das flores e fantasio as dores!

Quero de novo a tua vinda cálida e teus olhos entrando em mim...
Vou desvanecer de tanto dizer que é isto que eu procuro, sim...
Quando te vejo invento a tua voz no meu ouvido, sussurrando...
Gemidos misturados com o nosso perfume e o amor dilatando...

Sempre me afronta e não me quer, para quê esta provocação?
Quando isto acontece o meu corpo fica clamando pela explosão...
Se eu te segurasse nesta hora iria ver; o nosso rubor iria acontecer...
Deixaria as tuas mãos judiando da minha tentação; eterno querer...

Janete Sales Dany
Licença Creative Commons
O trabalho O nosso perfume e o amor dilatando... de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

http://silviamota.ning.com/group/literatura-sensual-e-erotica/page/literatura-sensual-e-erotica-n-4-perfume-da-paixao
Com este poema participei na Peapaz
do grupo Literatura Sensual e Erótica 

Nenhum comentário:

Postar um comentário